Join for 20203 DE MAIO

DESACELERAÇÃO NO FINAL DA CORRIDA OU TREINO

02/14/17

Desaceleração no final da corrida ou treino

Parar de correr após uma prova ou treino, de forma instantânea, impede que seu corpo e a circulação sanguínea retornem adequadamente ao nível de repouso após o exercício físico. Dessa forma, é essencial que o corredor desacelere lentamente ao final do treino/corrida, para evitar uma queda brusca da pressão, que pode provocar tontura e até um possível desmaio.

Para explicar melhor, precisamos usar alguns termos mais técnicos para não deixar dúvidas. Vamos lá: durante o exercício, existe uma adaptação do sistema cardiovascular para promover um aumento do fluxo sanguíneo principalmente para os músculos em atividade. O coração aumenta o chamado débito cardíaco, que é o volume de sangue bombeado para a circulação por minuto.

Os vasos sanguíneos que irrigam os músculos, sofrem uma dilatação para permitir que uma quantidade maior de sangue leve oxigênio e nutrientes para maior produção de energia. Esta situação de maior fluxo sanguíneo e vasodilatação do leito vascular persiste durante a atividade e só vai ser alterada quando termina o exercício. Ao terminar a atividade, a alteração mais rápida que vai ocorrer é a redução da frequência cardíaca e consequentemente uma redução muito acelerada do débito cardíaco com redução do fluxo sanguíneo.

Neste momento os vasos sanguíneos, principalmente dos músculos dos membros inferiores ainda estão dilatados porque o efeito vasodilatador do exercício ainda persiste por algum tempo após o final da atividade. Se neste momento houver uma parada abrupta, o sangue retorna lentamente dos membros inferiores, inclusive porque deixa de existir o “bombeamento” dos músculos se contraindo.

Essa é a principal causa da queda brusca de pressão, que pode provocar tonturas e até desmaio. De uma forma mais clara, estamos com nosso coração a pleno vapor para circulação do sangue por todo o corpo, sempre que exigimos mais da nossa “máquina”. Assim quando paramos de repente, o coração também dá uma parada e tenta desacelerar junto com você, diminuindo a demanda de sangue nos vasos sanguíneos, e causando esse mal-estar e possível desmaio.

Então galera, nada de “chegar chegando” e parar de uma vez, vamos dar aquele trote bem levinho ao final dos treinos e provas, só para garantir que nada de errado aconteça com nosso corpo. Se estiver num treino forte, faça dos minutos finais um desaquecimento e vá gradativamente parando, se estiver numa prova, tente aproveitar aquela reta após o pórtico de chegada, para um trote leve até pegar sua água e medalha de finisher.

 

Veja mais notícias

Parceiro local
Orla RioassimAudiLorealMaxMilhasHoteis Othon